Falta de estabilização da imagem é um revés crônico das micro-câmeras. Mas, com alguns gadgets específicos, é possível atenuar o problema

Texto: Ricardo Bruini
Imagens: Divulgação

A micro-câmera esportiva GoPro é um dos equipamentos mais utilizados no mundo quando o assunto é captação de imagens de ação. Por ser leve, pequena e muito resistente (quando equipada com sua caixa de proteção), permite o acoplamento nos locais mais inusitados, sem que isso cause qualquer tipo de dano ao dispositivo. O sucesso foi tão grande durante os últimos anos que a micro-câmera já está em sua quarta geração.

Entretanto, a GoPro tem uma deficiência que nem sempre consegue ser driblada: a falta de estabilização da imagem. Com isso, a operação do equipamento nas mãos do usuário, ou mesmo sua fixação em determinadas plataformas muito instáveis, acaba por causar na imagem uma trepidação que, muitas vezes, não é desejável.

Para solucionar este problema foram criados alguns dispositivos que permitem que a micro-câmera se mantenha estável durante a gravação. Por alguma razão mercadológica, esses equipamentos geralmente são fabricados por empresas novas ou que ainda são pouco conhecidas no mercado audiovisual, o que causa apreensão em alguns compradores.

Existem vários modelos de estabilizadores de imagem para a GoPro (alguns comportam, também, celulares e outros modelos de micro-câmeras esportivas), alguns mais eficientes que outros. Também os quesitos “preço” e “funcionalidade” variam bastante de equipamento para equipamento. Muitos são apenas protótipos e ainda não têm comercialização oficial (o que significa que podem sofrer alterações até que sejam colocados de fato no mercado).

Nenhum dos acessórios de estabilização para GoPro que existem atualmente permite a sua utilização debaixo da água, cuja densidade impede que os sistemas de estabilização funcionem adequadamente. Também existe o fato da maioria ser apenas “resistente” à água, e não “a prova de água”, pois não possuem blindagem suficientemente hermética. A seguir, analisaremos alguns dos vários modelos exi Removu S1stentes.

iStock_000027297757_Double

REMOVU S1

Disponível para os modelos GoPro Hero3, Hero3+, Hero4 e Hero5, o dispositivo de estabilização permite a montagem da câmera diretamente sobre a base estabilizada, além de ser compatível com os acessórios originais da GoPro. O REMOVU S1 possui controle-remoto, o que facilita bastante o ajuste e o manuseio. Além disso, também é à prova de chuva, o que permite sua utilização em situações de chuva leve ou neve. Mas não é possível utilizá-lo sob condições demasiadamente severas (e muito menos, submergi-lo).

O sistema de estabilização utiliza um conjunto híbrido de giroscópios e motores elétricos, semelhantes aos utilizados em sistemas de estabilização mais robustos. Esse tipo de estabilização permite ao dispositivo anular vibrações e oscilações em três eixos distintos. O equipamento pode ser ajustado por meio de um controle-remoto Bluetooth, ou ainda, por meio de uma pequena tela OLED existente no corpo. Há alguns níveis diferentes de estabilização que podem ser escolhidos de acordo com a necessidade do usuário.

Um dos grandes pontos negativos do equipamento é que, já que a câmera é presa diretamente à base de estabilização por meio de uma espécie de “clip”, a caixa estanque original da GoPro não pode ser utilizada. Os desenvolvedores garantem que será disponibilizada uma versão customizada de caixa de proteção própria para o equipamento.

Com apenas 26cm de comprimento, o Removu S1 é bastante  compacto e ágil. Sua fixação pode ser feita até em capacetes, sem que o equilíbrio seja afetado. De acordo com os fabricantes, a bateria terá vida útil de até quatro horas, o que é uma promessa bastante ousada, já que os motores elétricos consomem bastante energia.

A previsão é que o gadget esteja disponível para compra em 2016 fora do Brasil. Por aqui, não existe previsão de vendas e, assim como outros dispositivos tecnológicos, provavelmente dependerá de importação. É esperar para ver se a promessa se concretiza.

G3 FEIYU TECH

Diferentemente do produto anterior, este já é uma realidade e está no mercado há algum tempo (já existe, inclusive, a versão G4). O dispositivo também faz uso de giroscópio para “ler” as oscilações aplicadas ao cabo e de motores elétricos para anular a maior parte das trepidações que seriam transmitidas à câmera. Na verdade, o equipamento é uma espécie de gimbal com dois eixos motorizados de estabilização ativa. Como, de acordo com a Física, existem três eixos possíveis para um movimento (X, Y  e Z), podemos notar que um dos eixos permanece, portanto, sem estabilização (o que, na prática, se traduz em alguns movimentos pendulares indesejados).

O estabilizador G3 Feiuy Tech funciona com pequenas baterias de lítio recarregáveis de 3,7V (semelhantes a pilhas AA), que fornecem energia suficiente para utilizar o dispositivo por duas horas seguidas – embora quanto mais os motores atuarem para estabilizar as imagens, mais bateria será consumida. Na manopla (cabo) há pequenos botões que permitem ao operador ajustar o ângulo da câmera (como se fosse um movimento de tilt) sem interferir no sistema de estabilização.

Com a manopla, o usuário pode operar o equipamento segurando-o na mão. Caso queira acoplar o estabilizador a alguma superfície (capacete, capô de carro etc.) é necessário desmontar o cabo e prender o sistema de estabilização utilizando-se de algum acessório de fixação. Vale lembrar que, como as baterias ficam dentro da manopla (semelhante ao que ocorre em uma lanterna), e como há um fio bastante curto que conecta esta haste aos motores elétricos, é necessário que este “apêndice” seja preso bem próximo ao conjunto por outro acessório de fixação (o que nem sempre é muito prático).

Já que não é à prova de água, o sistema não pode ser utilizado sob condições atmosféricas muito extremas, tampouco pode ser submergido. O fato de a GoPro ser fixada ao sistema por meio de uma espécie de “clip” não permite a utilização da caixa protetora original.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here