Técnicas testadas e aprovadas podem dar um “algo mais” às suas fotos

Texto: Ricardo Bruini 
Imagens: Divulgação

“RETRÔ”

Esta técnica é a queridinha dos fotógrafos amadores. Afinal, imagens com um ar “retrô” ficam com cara de lembranças antigas e aparentam ser mais requintadas do que realmente são. Mesmo que o tema não seja “antigo”, a atmosfera conseguida com a aplicação de filtros “envelhecidos” agrega valor a imagens simples. Vale lembrar que nem todas as fotos combinam com esse tipo de filtro, portanto, é importante conhecer bem o efeito e saber em quais fotografias aplicá-lo.

Normalmente busca-se por uma semelhança com fotografias coloridas antigas dos anos 60 ou 70, nas quais as cores sempre aparentam estarem desbotadas e tomadas por alguma tonalidade predominante. O baixo contraste também é caraterístico dessa época. Portanto, para tentar simular tais características, crie uma nova camada no Photoshop (ou outro editor de imagens de sua preferência) a partir da camada original e diminua o contraste da imagem.

Para tanto, vá até “Imagem”, “Ajustes” e “Exposição” e altere o valor de “Correção de Gama” até que a imagem adquira um aspecto ligeiramente opaco e desbotado (não exagere no efeito!). Em seguida, vá novamente até “Imagem”, “Ajustes” e escolha “Matiz/Saturação”. Clique em “Colorir”. Altere o ajuste de “Matiz” até encontrar a cor desejada.

Algo entre vermelho e laranja (ou então, rosa claro) costuma dar bons resultados. Mas, caso queira, você também pode escolher verde ou azul para criar um clima diferenciado. Deixe a “Saturação” em valores baixos. Em seguida, mude a “Opacidade” desta camada para 40 ou 50%. Dessa forma, ela irá sobrepor-se à camada original posicionada abaixo. Salve a imagem no formato desejado. Se for publicar em redes sociais, prefira formatos leves, como o JPEG.

“VIGNETING”

“Vigneting” (ou “vinheta”) são aquelas bordas escurecidas em torno da imagem. Muitos consideram o “vigneting” um defeito ou um artifício fora de moda, mas, se bem utilizado, ele pode ajudar a enfatizar os elementos contidos no centro da imagem, diminuindo a importância das bordas e mantendo o olhar do espectador dentro da foto. Há muitas formas de se criar um “vigneting” convincente.

Ensinaremos uma das diversas maneiras possíveis. Comece criando, como de costume, uma nova camada a partir da imagem original. Em seguida, vá até “Imagem”, Ajustes”, “Exposição” e diminua os valores de “Exposição” até obter uma imagem bem escura, mas ainda possível de ser visualizada em seus detalhes. Caso domine bem o Photoshop, escureça a camada a partir de “Curvas” ou “Níveis”. Evite a opção “Brilho/Contraste”, pois os resultados costumam ser inferiores aos obtidos com as demais ferramentas. Em seguida, vá até a barra de ferramentas e escolha a ferramenta “Seleção Elíptica”.

Selecione o centro da imagem, deixando uma borda relativamente larga. Vá até “Selecionar, “Modificar”, Difusão”. Agora, escolha um valor de difusão que se adapte ao tamanho da imagem. As de tamanho grande aceitam valores acima de 150 ou 200; imagens pequenas, bem menos. Delete a área selecionada da camada. Perceba que uma borda difusa escura foi aplicada como uma camada acima da original. Se achar que o efeito ficou um pouco forte (lembre-se que os excesso sempre são ruins) diminua a “Opacidade” da camada modificada para algo em torno de 60%.

Caso queira incrementar um pouco mais, a vinheta combina muito bem, em conjunto, com efeitos de preto e branco (como os vistos na edição anterior). Salve a imagem no formato desejado. Se for publicar em redes sociais, prefira o formato JPEG.

ALTO CONTRASTE EM FOTOS COLORIDAS

Nem só nas imagens em preto e branco o ajuste de contraste oferece bons resultados; ele também pode ser um ótimo recurso para as fotografias coloridas. Perceba que nem todas as imagens ficam boas usando essa técnica – então, tenha bastante cuidado ao aplicar o efeito. Em fotos com pessoas, a pele do rosto pode adquirir um aspecto “estranho” e nada atraente. Portanto, cuidado quando aplicar o efeito de contraste “estourado” em fotos com rostos de pessoas. Se aplicado com parcimônia e bom gosto, o resultado poderá agradar bastante, mesmo nesse tipo de situação.

Abra a imagem no Photoshop e, diferentemente dos filtros anteriores, não é preciso criar uma nova camada, pois o ajuste não depende de sobreposições. Em seguida, vá até “Imagem”, “Ajustes” e escolha “Curvas” (ou, se preferir, “Níveis”). Evite utilizar a ferramenta mais óbvia, que seria “Brilho/Contraste”, pois esta não oferece recursos de manipulação das áreas claras e escuras da imagem separadamente.

Com um pouco de prática, você perceberá que a ferramenta “Curvas” oferece resultados superiores e mais precisos. Note que a parte “de baixo” da curva oferece informações referentes às áreas escuras e a parte de cima, às áreas mais claras. Sendo assim, clique na parte de baixo da curva e a arraste ainda mais para baixo. Caso queira enfatizar ainda mais o contraste, clique na parte de cima da curva e, então, a arraste ainda mais para cima. Repare que a curva, que antes era reta, agora tem um leve formato de “S”.

Como tal manipulação normalmente tende a deixar as cores excessivamente vibrantes, caso você queira, é possível controlar um pouco os excessos com a ferramenta “Saturação” (“Imagem”, “Ajustes”, “Matiz/Saturação”). Fotos com contraste aumentado ficam com uma atmosfera bem mais urbana e agressiva.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here