CANTORAS DO BRASIL: QUINTA TEMPORADA

Atração produzida pela Grifa Filmes e exibida no Canal Brasil fechou sua quinta temporada com “chave de ouro”

00

A cantora Lívia Nestrovski foi convidada a interpretar a obra de Sidney Miller e Torquato Neto no último episódio inédito da quinta temporada de Cantoras do Brasil, atração exibida pelo Canal Brasil e produzida pela Grifa Filmes e Battaglia Filmes. A direção é de Jacob Solitrenick e a seleção de conteúdo é feita por Mariana Rolim, Mercedes Tristão e Simone Esmanhotto (também criadoras do projeto).

Miller e Torquato estão no hall de artistas brasileiros ligados à contracultura e são considerados “poetas malditos” de nossa música. O primeiro chegou a estudar Sociologia antes de enveredar pelos caminhos da arte e ganhar notoriedade ao participar do III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record, em 1967 (ele arrebatou o prêmio de melhor letra com “A Estrada e o Violeiro”, interpretada em dupla com Nara Leão).

O multiartista piauiense Torquato Neto, por sua vez, se expressou também por meio da poesia, do jornalismo e do cinema marginal, além da música. Teve uma parcela de influência nas carreiras de grandes cantores da MPB e compôs em parceria com Gilberto Gil, Caetano Veloso, Luiz Melodia, João Bosco e Edu Lobo, entre outros. Foi perseguido pela ditadura, suicidando-se em 1972 (com apenas 28 anos de idade).

 

NOVA ROUPAGEM

A quinta temporada de Cantoras do Brasil teve 13 programas com artistas da nova geração musical brasileira, que deram novos tons e uma roupagem feminina às letras de compositores como Sérgio Sampaio e Waly Salomão, além dos já mencionados Torquato Neto e Sidney Miller. Além de Lívia Nestrovski, a lista de convidadas destacou nomes como os das cariocas Marina de La Riva e Barbara Ohana, da gaúcha Duda Brack, da mineira Sara Não Tem Nome, da baiana Luedji Luna, da paulista Camila Garófalo, da paraense Aíla e da pernambucana Isadora Melo, entre outras. A série ainda trouxe uma dupla formada especialmente para a programação: Anna Trea, de São Bernardo (região do ABC Paulista), e Josi Lopes, de Belo Horizonte (MG).

Lívia Nestrovski, que encerrou com chave de ouro a temporada, nasceu nos EUA em meio à música (ela é filha do compositor e violonista Arthur Nestrovski). Mas, assim que chegou ao Brasil, já caiu nas graças da crítica musical. Ela participou de trabalhos com Arrigo Barnabé (que a considera “uma das maiores vozes de sua geração”) e com Luiz Tatit. Em Cantoras do Brasil, ela interpretou “Maria Joana”, de Sidney Miller, e “Dente no Dente”, de Torquato Neto e Jards Macalé. Como bônus, ainda cantou “Menina Fricote”, de Marília Batista e Henrique Batista.

Para a produção dos episódios, a equipe utilizou câmeras Canon C300 e ilhas MAC rodando o Adobe Premiere. O cenário fotográfico foi o Estúdio de Gravação de Músicas da YB Music, em São Paulo (SP). A Grifa Filmes foi fundada em 1996, por Fernando Dias e Mauricio Dias, e é especializada na realização de documentários, séries e programas de TV. A produtora já foi indicada para dois Emmy Awards e tem uma atuação tão prolixa quanto reconhecida no audiovisual brasileiro.

Além de Cantoras do Brasil, a empresa trabalhou em esquema de coprodução com grandes canais de TV, como ARTE/ZDF, Discovery Channel, NATGEO, Animal Planet, France 3, France 5, CBC, NHK, Multishow, GNT, Globosat, TV Cultura, STV, TV Brasil, TV Record e Canal Brasil, entre outros. Este ano, a Grifa ainda lançará o documentário de longa-metragem Expedição Novas Espécies, uma aventura científica na Amazônia cujo saldo, até agora, é de pelo menos 80 novas espécies confirmadas. A direção é de Maurício Dias, que, neste projeto, trabalhou com 50 renomados cientistas.