COMO CRIAR UMA ANIMAÇÃO – PARTE 7

Os passos necessários para garantir o funcionamento mecânico de nosso Troll, antes da animação

 

Por Viviane Adade e Rafael Nani

 

Agora que temos as cores e as texturas definidas, vamos à etapa de Setup/Rig, na qual construímos a base para o funcionamento mecânico do personagem – ou seja, seu esqueleto. Assim poderemos manipular livremente a figura e construir nossas animações.

 

O primeiro passo é estudar as possibilidades de movimentação do personagem e de seus acessórios e esboçar um planejamento. Neste momento, também definimos em que partes do Setup usaremos simulação de tecido e de dinâmica.

 

SETUP DO CORPO

A partir do planejamento é construída a estrutura que permite toda a movimentação desejada. No caso, colocamos torções nos braços, antebraços e coxas, para a malha se comportar de forma mais orgânica.

 

Também optamos pelo braço IK/FK, com uma transição suave entre ambos, para facilitar o trabalho do animador. A autoclavícula, que pode ser ativada ou não, foi outra escolha para deixar o movimento do Troll mais “orgânico”.

 

A orientação das mãos também é opcional, podendo ou não seguir o braço; e ainda é possível travar o pulso no espaço. Depois de reproduzido este esqueleto, o associamos à malha modelada e afinamos seu funcionamento com a pintura de influências. Dessa forma, ao movermos o esqueleto, a malha acompanhará o movimento.

 

As partes da armadura que não se movem com simulação foram “linkadas” diretamente ao esqueleto, respeitando-se as torções dos braços e pernas.

 

Depois, “limpamos” o Setup, organizando em controladores simples e intuitivos para os animadores

 

Continuaremos no próximo artigo com o Setup dos objetos que recebem simulação, além das deformações musculares e faciais. Até lá!

 

Veja Também