EWALD FILHO, A VOZ DA EXPERIÊNCIA

Academia Internacional de Cinema abriu o calendário do segundo semestre com a Semana de Cinema e Mercado 

Texto: Redação

Foto: Divulgação

A Semana de Cinema e Mercado faz parte do calendário da Academia Internacional de Cinema (AIC) há cinco anos. Foi criada para abrir o calendário do segundo semestre da escola para os alunos e para o público, pois o evento também é aberto à comunidade.

ewaldEsta edição levou à AIC palestrantes das áreas de cinema e mercado, ou seja: profissionais que agregaram ao debate sobre as possibilidades de comercialização e viabilização de um filme – o cinema, portanto, visto de um ponto de vista de negócio –, além de abordar o processo de pós-produção. A Academia contou com as presenças de quatro grandes profissionais: Fabiano Gullane, Ariel Henrique, Samanta do Amaral e, abrindo o ciclo de palestras, nada menos que o maior crítico de cinema do Brasil, Rubens Ewald Filho.

Em sua fala, Ewald relembrou como tudo começou: os filmes que assistiu na infância, as anotações que fazia em seus famigerados “caderninhos” e o convite para trabalhar no jornal “Tribuna de Santos”, onde fez sua primeira crítica sobre o filme Pierrot Le Fou, de Jean-Luc Godard – e de lá, para a transmissão do Oscar. Rubens também falou sobre sua infância: ele era filho de fazendeiros que cultivavam banana, porém, devido a seguidas enchentes, perderam tudo. Ewald atribui tudo o que é ao cinema. Ele afirmou que a Sétima Arte teve o poder de tirá-lo de uma vida solitária e o levou a um mundo de sonhos.

Acompanhe a matéria completa da edição 190 da revista Zoom Magazine, clicando aqui!