OUTRO SABOR – FILME DA CERVEJA SOL

Fugindo ao estereótipo “batido” da maioria dos comerciais do gênero, filme produzido para a cerveja Sol ganhou um look cinematográfico

Texto: Eduardo Torelli
Imagens: Divulgação

Uma crítica bastante comum aos comerciais de cerveja é que são “todos iguais”: praia, sol, churrasco e mulheres bonitas resumem o que essas produções têm a oferecer em termos de visual e conteúdo. Ainda bem que existem exceções, como o filme criado pela Talent e produzido pela Paranoid (sob a direção de Denis Cisma) para a Sol, cerveja de origem mexicana da Heineken Brasil. A inspiração para a campanha é o conceito “Espíritu Libre” e seus personagens são pessoas “de verdade” que fizeram escolhas corajosas e decisivas em suas vidas. As versões do filme – uma de 30”  e outra de 45”.

Segundo Carine Hermida (gerente da marca Sol Premium), a campanha e o conceito “Espíritu Libre” convidam as pessoas a refletir sobre suas escolhas, já que “liberdade” é seguir o próprio caminho. “Em 2014, a marca lançou no Brasil o posicionamento global baseado neste conceito, uma declaração de independência para aqueles que resistem à pressão do conformismo e que afirmam a sua liberdade fazendo as coisas do seu jeito. É construído por valores como independência e originalidade e direcionado a quem acredita em sucesso à sua maneira”, define Carine.

Preto e branco
A campanha contou com peças caracterizadas pelo uso intensivo do preto e branco, além de cenários e ângulos que fogem ao universo comum da publicidade “cervejeira” no Brasil. O filme exaltou perfis como os de uma fotógrafa que deixou de lado a formação de engenheira civil para “clicar” o trabalho de artistas plásticos e de um tatuador que viu, na arte, um caminho para fugir da rebeldia adolescente, tornar-se uma referência na área e ter orgulho da própria profissão. “Trazer pessoas reais que fizeram escolhas baseadas em suas vontade, em lugar de atores, foi uma das formas que encontramos para imprimir a autenticidade e a originalidade da Sol.”

Antes de chegar à mídia, o filme teve um longo processo de “gestação”, o que incluiu muitos debates criativos. “Desde a aprovação até as cópias, o projeto consumiu aproximadamente um mês e meio – mas estávamos em contato com a agência Talent desde o início de 2015, acompanhando todas as variações do roteiro”, lembra o diretor Denis Cisma em entrevista à Zoom Magazine. Justamente porque um dos valores da campanha era a autenticidade, a escolha e a definição do casting foram etapas bem trabalhosas.

“Optamos por não fazer o tradicional ‘teste de VT’”, prossegue Denis. “Pedimos que as pessoas mandassem um vídeo produzido com o celular respondendo a algumas perguntas. Selecionamos as mais interessantes e levamos os vídeos junto com um pequeno portfolio das pessoas. No caso do músico, por exemplo, levamos o clipe de sua banda. Já para o casal viajante, descobrimos um brasileiro e uma escocesa que se conheceram em Paris fazendo um curso de mímica (em seu vídeo, havia uma pequena apresentação de ambos atuando juntos).”

Atmosfera “antiga”
O filme foi captado em locações na cidade de São Paulo (SP), com uma Red Epic e com uma Arri Alexa. “Filmamos em cores e, em seguida, transformamos em P&B, na pós-produção, com rotoscopia da garrafa”, informa o diretor. “Para o contraste e os volumes, utilizamos, em quase todas as cenas, uma leve névoa com máquina de fumaça. Não se nota essa fumaça, mas ela define todos os raios de luz e destaca aquilo que está em primeiro plano, o que conferiu uma ‘atmosfera’ ao filme.”

A direção de fotografia ficou a cargo de Pierre de Kerchove. Contribuíram muito para o look interessante da produção as locações escolhidas, muitas das quais eram lugares antigos e quase abandonados. Denis Cisma lembra que a Sol é uma cerveja “clássica”, de 1899 – logo, a arquitetura que vemos no filme data majoritariamente do início do século XX. “Utilizamos, por exemplo, um dos últimos casarões que restaram na Avenida Paulista, construído em 1905”, conclui o realizador. “A dificuldade de filmar em lugares assim fica para a direção de arte, que precisa transformar inteiramente o lugar. O chão antigo, o tamanho e o desenho das janelas, as grades e a parede descascada fizeram uma grande diferença na estética do filme. Algumas pessoas até nos perguntaram se havíamos filmado no Brasil.”

Baseada em São Paulo e subsidiária da Heineken NV (uma das maiores cervejarias do mundo), a Heineken Brasil chegou ao país em maio de 2010. A empresa conta com sete cervejarias localizadas em Jacareí (SP), Araraquara (SP), Gravataí (RS), Ponta Grossa (PR), Feira de Santana (BA), Pacatuba (CE) e Manaus (AM).