POCKET CINEMA – SUPERCÂMERA!

Pocket Cinema foi utilizada em Vingadores: Era de Ultron. Pequena em tamanho, câmera da Blackmagic Design oferece um desempenho “heroico”

Texto: Claudinei Costa
Imagens: Divulgação

O blockbuster Vingadores: Era de Ultron, da Marvel, dirigido por Joss Whedon e com direção de fotografia do britânico Ben Davis (Guardiões da Galáxia), já arrecadou mais de US$ 900 milhões em bilheterias em todo o mundo. Davis não é estranho no mundo da Marvel e esta foi a primeira vez em que trabalhou com Whedon. Vamos saber mais sobre a experiência e falar com Davis sobre algumas de suas opções em termos de câmeras na mais recente superprodução da Marvel.

“É um prazer trabalhar com ele,” revela Davis. “Aprecio essa experiência de colaborar com  escritores / diretores, pois eles têm uma compreensão completa do material. Lembre-se: desde o momento em que inicia a produção, eles vivem esses roteiros, em alguns casos, por vários anos. Então, têm uma ideia muito forte de como querem ver o que escreveram, especialmente alguém tão experiente como Joss.”

Escolha certa
O filme original, Vingadores, foi filmado em digital e segundo Davis todos os trabalhos anteriores da Marvel também. “Parecia a escolha certa, na hora, para o que queríamos alcançar. Utilizo vários recursos fotográficos em filmes, assim como outros no formato digital, e acredito que precisamos tomar a decisão correta para o projeto. Neste caso, filmar digitalmente era o correto. ”

Davis comenta que esta é uma época maravilhosa para produtores e diretores devido à diversidade de escolhas. “Você não tem só essa maravilhosa diversificação de paleta em termos de textura, cor e aparência – também tem a opção de filmar em 16mm ou 35mm. Em alguns casos, até em 65mm.”

“Agora sinto que a linguagem visual do segundo filme dos Vingadores é significativamente diferente do primeiro filme – e, na verdade, esta foi uma das primeiras discussões que Joss e eu tivemos. A narrativa do segundo filme é muito mais sombria e ameaçadora para a abordagem visual. Tinha que ser mais corajoso, escuro e mais ligado ao planeta Terra. ”

Muita ação!
O tão aguardado sucessor de Os Vingadores apresenta uma série de sequências de ação. Davis sentiu a necessidade de uma câmera pequena para preencher a unidade principal e os requisitos do kit da segunda unidade. “Eu sou um grande fã do trabalho de Anthony Dodd-Mantle, que trabalhou com câmeras menores em Rush, particularmente em montá-las em lugares incomuns. Decidi experimentar a Pocket Cinema Camera, da Blackmagic Design, por sugestão de um amigo. Realmente a colocamos à prova durante os testes. Eu queria não só ver o quão boa era a imagem, mas a quantidade de informações e destaques que obtinha nas sombras. Fiquei realmente impressionado com o que vi. Era isso o que eu procurava”.

“De repente, eu tinha em mãos uma câmera compacta que não só me proporcionou uma saída de imagem em RAW de 12 bits, mas que também tinha uma latitude que se aproximava do nível de câmeras de cinema digital de Hi-end. Não somente pudemos usar lentes intercambiáveis, como tivemos um maior controle sobre o foco e a abertura da lente”.

Há duas grandes sequências de batalha durante o filme – a primeira no início e a segunda, no terceiro ato. Davis queria que fossem filmadas como se um correspondente de guerra cobrisse notícias em uma zona de conflito. “O que precisávamos era de uma câmera leve, que poderia, então, distribuir em torno do set a filmagem de sequências de batalha que nos daria mais de 12 quadros de material HD de boa qualidade e que combinaria com o nosso pacote de câmera principal.”

Pontos de impacto
“Para isso, utilizamos oito câmeras Pocket Cinema, que montamos para pontos de impacto ao redor do set. Digamos, por exemplo, um caminhão sendo destruído e lançado pelos ares e queríamos capturar essa queda em cima de um carro, onde colocamos uma das câmeras Blackmagic em uma pequena caixa de metal e a colocamos dentro do carro. Eles estavam essencialmente na linha de fogo e, apesar de pegarmos pesado com as ‘pequenas’, nunca perdemos nenhuma. Uma característica que amei nessas câmeras é que você pode, literalmente, colocá-las embaixo de qualquer lugar.”

Na cena final, o jato Vingador faz um rasante entre Thor e o Capitão América. “Basicamente, eu coloquei uma Pocket Cinema, com uma grande lente angular no chão, definindo o ângulo da câmera com eles e deixei a cena fluir”, diz Davis. “Ela foi jogada 10 pés no ar, mas ficou tudo bem.” Davis conclui: “O mais interessante sobre a linha Pocket Cinema é o seu tamanho em relação à qualidade.”

Veja Também