Prêmio Brasil Fotografia abre inscrições

O edital já está disponível no site www.premiobrasilfotografia.com.br. As inscrições são gratuitas e ficam abertas até o dia 15 de junho

O Prêmio Brasil Fotografia  chega a sua 16ª edição sob curadoria do artista visual Cildo Oliveira. A honraria é dividida em cinco categorias e a premiação este ano chegará a R$ 180 mil. Mais de 200 fotógrafos já foram agraciados.

Brasileiros ou estrangeiros residindo no país podem participar. A proposta é não apenas a fotografia, mas a apresentação de ensaios, séries fotográficas e projetos que elaborem uma reflexão, na qual a imagem explore a diversidade como um espelho da história social e a estética sob o olhar contemporâneo. As inscrições são gratuitas e abertas ao público até o dia 15 de junho.

As cinco categorias do prêmio são: Especial, Ensaio Impresso, Ensaio Multimeios, Bolsa para Desenvolvimento de Projeto e Revelação.

Especial: uma comissão curatorial indicará fotógrafos que tenham ensaios relevantes em seu percurso criativo;

Ensaio Impresso: ensaios sobre o mesmo tema, caracterizando uma linguagem fotográfica de cunho autoral. Não há restrições quanto à forma de captação de imagem ou aos métodos de pós-produção;

Ensaio Multimeios: dedicado a produções que usem diferentes linguagens e narrativas como: vídeos, projeções, instalações, intervenções urbanas;

Bolsa para Desenvolvimento de Projeto: dedicado a projetos de pesquisas experimentais, ainda não viabilizados, que partam da ação/reflexão fotográfica como impulso para o desenvolvimento de narrativas contemporâneas, em um território transdisciplinar;

Revelação: destinado a um fotógrafo inédito no circuito institucionalizado de arte.

Coordenada por Cildo Oliveira, neste ano participam da comissão curatorial: Angélica de Moraes (curadora), Fabio Magalhães (curador), Evandro Teixeira (fotógrafo) e Rubens Rewald (cineasta). “O diferencial do Prêmio Brasil Fotografia é o fato de dar liberdade de se expressar, de colocar propostas e projetos pois, nada mais importante que preservarmos o direito de expressão individual, o direito de criar, o direito de, por meio de trabalhos fotográficos, nos colocarmos diante da nossa sociedade”, afirma Cildo.