COMO DAR MOVIMENTOS ÀS IMAGENS

Utilizado para dar “movimento” a um tema, “Panning” pode render fotos memoráveis

 

 

Por João Lisboa

 

 

O termo “Panning” se origina da palavra “panorama” e sugere um movimento rápido.

A técnica pode ser praticada tanto com um tema em movimento (o mais usual) como com um objeto totalmente imóvel.

Essa nomenclatura também é usada em cinema e televisão para definir “escaneamento”. Mas, para nós, o que interessa é o “Panning” da fotografia.

Trata-se de uma técnica desenvolvida por Roberto Barker por volta de 1887, com o intuito de passar a impressão de movimento por trás do assunto focado.

 

COMO FAZER

Normalmente, usa-se uma velocidade entre 1/30s e 1/60s com objetivas entre 50mm e 180mm. Mas há situações que fogem a esse padrão. Em uma corrida automotiva, por exemplo, tais valores se tornam inviáveis, pois um carro de competição chega a uma velocidade superior a 200 km/h e uma velocidade de obturador em 1/30s ou 1/60s faria o tema ficar totalmente “tremido”.

Consideremos que você esteja fotografando uma corrida de motos onde a velocidade média é em torno de 150 km/h. Coloque, na câmera, a velocidade do obturador em 1/100s com ISO 100. Procure uma curva e fique no lado de dentro e exatamente na metade da sua extensão. Assim você terá o mesmo raio desde o lado direito até o lado esquerdo da cena – logo, a distância do assunto focado será a mesma. Assim, garante-se a nitidez e o fundo em movimento.

Posicione-se com as pernas abertas, simulando um tripé. Isto lhe dará mais firmeza. Focalize a motocicleta antes do ponto escolhido para a cena. Acompanhe a trajetória apenas movimentando a cintura. Quando a moto estiver no ponto pré-determinado por você, clique e continue o movimento com a câmera.

Outra forma de Panning pode ser praticada usando-se uma objetiva zoom.

Focalize um assunto estático no maior ou no menor ângulo e dispare o obturador enquanto estiver movimentando a objetiva no ângulo contrário.

Em ambos os casos, os resultados não são muito precisos. Ou seja: aplicamos a técnica do Panning e depois verificamos a plasticidade obtida.

Esta técnica e seus efeitos dependem de treino e de sorte. Provavelmente suas primeiras tentativas terão resultados pouco satisfatórios, mas não desista. Afinal, a arte de fotografar também depende de muito treino!

Veja Também