6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental 2017 homenageia o documentarista e indigenista Vincent Carelli

Fotos: Divulgação

Texto: Fernando Evangelista

A programação inclui, além de seus longas-metragens recentes (os elogiados Corumbiara e Martírio), títulos marcantes realizados pelo projeto Vídeo das Aldeias, criado pelo cineasta nos anos 1980.

A 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, que acontece de 1º a 14 de junho, terá como grande homenageado, o indigenista e documentarista, Vincent Carelli. Serão apresentados dois longas recentes e premiados do realizador : Corumbiara (2009) e Martírio (2016). O primeiro retrata o massacre de índios em Rondônia, ocorrido em 1985,  e recebeu os prêmios de melhor filme, melhor direção, melhor montagem e prêmio do público no Festival de Gramado. Já Martírio, feito em colaboração com Ernesto de Carvalho e Tita, explora as origens do genocídio praticado contra os índios Guarani Kaiowá. . A produção foi premiada no Festival de Brasília, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e no Festival de Mar del Plata.

Também estão incluídos nas homenagens quatro títulos emblemáticos do Vídeo das Aldeias, projeto criado por Carelli em 1986, com o objetivo de apoiar as lutas dos povos indígenas por meio de recursos audiovisuais. A iniciativa conta com mais de 70 filmes realizados, uma referência na área. No curta-metragem Vídeo nas Aldeias (1989), quatro grupos indígenas brasileiros (Nambiquara, Gavião, Tikuna e Kaiapó) incorporaram o uso do vídeo nos seus projetos políticos e culturais. O Espírito da TV (19

90) mostra as emoções e reflexões dos índios Waiãpi ao verem, pela primeira vez, a sua própria imagem num aparelho de televisão. Premiado no Festival de Vídeo de Tóquio e no Cinéma du Réel, A Arca dos Zo’é (1993), mostra o encontro entre os índios Waiãpi e os Zo’é. Já em Segredos da Mata (1998) estão reunidas quatro fábulas sobre monstros canibais, todas narradas e interpretadas pelos índios Waiãpi.

As exibições são gratuitas e acontecem no Cine Reserva Cultural, Cine Caixa Belas Artes, Livraria Cultura Bourbon Shopping, Fábricas de Cultura e salas do Circuito Spcine – Centro Cultural São Paulo, Cine Olido, Centro Cultural Cidade Tiradentes, Biblioteca Roberto Santos e unidades do CEU.