Ministrada por Franthiesco Ballerini, a aula tem o foco nas linguagens utilizadas no cinema para ocultar ideologias

O cinema não tinha nem duas décadas de existência e, a partir dos anos 1920, já começou a ser utilizado como arma de propaganda ideológica. No dia 29 de julho, na Casa do Saber, acontecerá um encontro para debater sobre o assunto. Nesse dia os alunos irão entender quais ferramentas os cineastas usam para passar uma ideologia sem que o público perceba.

A aula aberta é gratuita e destinada a apresentar o novo professor da instituição, Franthiesco Ballerini, para os novos alunos, e também uma oportunidade de ter contato com o ambiente e a dinâmica das aulas. O tema, geralmente panorâmico, serve como uma porta de entrada para assuntos a serem aprofundados em um futuro curso ministrado pelo professor da aula aberta.

O primeiro nome a ser abordado, durante a aula, será o de Leni Riefenstahl, a cineasta oficial do nazismo e diretora de O Triunfo da Vontade, filme até hoje estudado por suas habilidades únicas de entreter e convencer as massas. Em seguida, serão analisadas as armas de Frank Kapra para os EUA em seus filmes e, também, o cinema-propaganda soviético de Sergei Eisenstein.

O Brasil também possui esse tipo de linguagem em sua história. O Cinema Novo utilizou-se de uma linguagem original para combater tempos de ditadura. E mais recentemente, em pleno século 21, é possível identificar como os diretores mascaram de maneira ainda mais eficiente os elementos ideológicos de seus filmes.

Local: Casa do Saber SP (R. Dr. Mario Ferraz, 414, Jardim Paulistano)

Data: 29/07

Hora: 11h

Entrada franca

Inscrições pelo site: www.casadosaber.com.br/sp/cursos/ferias/o-cinema-como-arma-em-tempos-de-guerra.html