Pandora distribuirá no Brasil três longas pré-indicados ao Oscar de melhor filme estrangeiro

0
Aranha representa o Chile na disputa do Oscar 2020
Aranha representa o Chile na disputa do Oscar 2020

A Pandora Filmes traz aos cinemas brasileiros três filmes selecionados por seus países para concorrer a uma indicação na categoria Melhor Filme Estrangeiro no Oscar 2020. Um dos destaques da mostra Um Certain Regard na última edição do Festival de Cannes, o argeliano PAPICHA, primeiro longa de Mounia Meddour, estreia no Brasil em 31 de outubro pelo projeto Caixa de Pandora. Uma estudante de 18 anos, apaixonada por design de moda, se recusa a deixar que os trágicos acontecimentos da Guerra Civil da Argélia a impeçam de experimentar uma vida normal. À medida que o clima social se torna mais conservador, ela rejeita as novas proibições impostas pelos radicais e decide lutar por sua liberdade e independência. 

Parasita representa a Argélia na disputa do Oscar 2020
Papicha

Do sul-coreano Bong Joon-ho (“Okja”, “O Hospedeiro”), PARASITA, que foi vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2019, estreia nos cinemas brasileiros em 6 de novembro. Na trama, todos os membros de uma família estão desempregados e vivendo na miséria. Ao primeiro contato com a vida de luxo e glamour, decidem fazer o necessário para ascenderem socialmente, até se envolverem num acidente inesperado.

Parasita representa a Coreia do Sul na disputa do Oscar 2020
Parasita

Já a coprodução Chile-Argentina-Brasil indicada para representar o Chile, ARANHA, do premiado diretor Andrés Wood (“Machuca”, “Violeta foi para o Céu”), apresenta duas linhas narrativas simultâneas, uma situada no Chile de 1973, durante o golpe de estado, e outra nos dias atuais. Por meio da interseção de passado e presente, é contada a história de três amigos que pertenceram ao grupo oposicionista e juntos cometeram um crime político que mudou a história do país para sempre.

Aranha representa o Chile na disputa do Oscar 2020
Aranha

SOBRE A PANDORA FILMES

A Pandora é uma distribuidora de filmes independentes que há 30 anos busca ampliar os horizontes da distribuição de filmes no Brasil revelando nomes outrora desconhecidos no país, como Krzysztof Kieślowski, Theo Angelopoulos e Wong Kar-Wai, e relançando clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Federico Fellini, Ingmar Bergman e Billy Wilder. Sempre acompanhando as novas tendências do cinema mundial, os lançamentos recentes incluem “The Square – A Arte da Discórdia”, de Ruben Östlund, vencedor da Palma de Ouro em Cannes, e “O Apartamento”, de Asghar Farhadi, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. 

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora atua com o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos, como Gustavo Steinberg, Ruy Guerra, Edgard Navarro, Sérgio Bianchi, Roberto Moreira, Beto Brant, Fernando Meirelles, Helena Ignez, Tata Amaral, Anna Muylaert, Petra Costa e Gabriela Amaral Almeida. Entre os próximos lançamentos, destacam-se “Greta”, de Armando Praça; “O Traidor”, de Marco Bellocchio, coprodução nacional, que concorreu à Palma de Ouro em Cannes; e “O Caso Morel” de Suzana Amaral. 

Em 2019, a distribuidora criou o projeto Caixa de Pandora que visa programar filmes premiados, escolhidos através de uma cuidadosa curadoria para serem exibidos em salas comerciais da rede Cinépolis, em 20 cidades do Brasil.

Veja Também