DUAS DÉCADAS DE BOM CINEMA

0
Foto: (Divulgação)

Por Eduardo Torelli

Globo Filmes completa 20 anos reafirmando seu compromisso com a qualidade e a diversidade

Lá se vão 20 anos desde que a Globo Filmes iniciou suas atividades, colocando à disposição de cineastas consagrados e iniciantes seu know-how em produção. O resultado desta aposta no talento de nossos realizadores é uma trajetória pontuada por sucessos (seus títulos levaram 220 milhões de espectadores aos cinemas) e que se distingue pela pluralidade: o selo da coprodutora não está apenas em alguns dos maiores sucessos de bilheteria do país (como os icônicos Cidade de Deus e Se Eu Fosse Você), mas em obras com recortes mais intimistas e propostas diferenciadas.

É importante enfatizar este último aspecto, para erradicar de vez a ideia de que a Globo Filmes visa apenas o lucro. Além de blockbusters, a empresa apostou em títulos de cunho documental, como o excelente Menino 23, de Belisário Franca, e em gêneros pouco explorados no Brasil, como o terror e o suspense. Nesta entrevista à Zoom Magazine, Edson Pimentel (diretor da Globo Filmes) reafirma o compromisso da coprodutora com a pluralidade de temas: “Todo projeto tem a nossa esperança, dedicação e empenho para cumprir o seu propósito de encantar o público”, garante o executivo.

A TRAJETÓRIA DA GLOBO FILMES PRATICAMENTE COINCIDE COM A DA RETOMADA. QUAL É SUA AVALIAÇÃO GERAL SOBRE A ATUAÇÃO DA EMPRESA NESTE PERÍODO E, TAMBÉM, SOBRE ESTE MOMENTO ESPECÍFICO DO CINEMA BRASILEIRO?

A Globo Filmes tem tido uma parceria forte e comprometida com produtores, distribuidores e exibidores nesta luta de consolidar o cinema nacional com filmes que atendam à expectativa do público nas salas de cinema. É um mercado muito competitivo, que exige um permanente cuidado em relação à qualidade, atratividade e temáticas alinhadas com o que o espectador deseja ver nas telonas. Nos últimos cinco anos, a Globo Filmes, a exemplo do que ocorre no mercado, priorizou aumentar a quantidade de coproduções em busca de novas ideias, roteiristas e diretores, na tentativa de entender como o público deseja rir, pensar, se emocionar e refletir nas salas de cinema. Nosso principal desafio é fazer o público gostar e, sobretudo, se orgulhar de nosso cinema em sua diversidade, temática e qualidade. Temos muito o que trabalhar para conquistar uma maior participação do filme brasileiro nas salas de cinema, que têm uma forte preferência pela presença dos filmes estrangeiros.

Quer a entrevista completa e muito mais matérias sobre bastidores, cinema, filmes, séries , fotografia, entre outros assuntos? Então saiba mais clicando aqui.