‘Morte e finitude’ é o tema discutido em episódio inédito da série Filosofia Pop

0
Foto: Lívia Wu.

Apresentada pela filósofa Marcia Tiburi e dirigida por Esmir Filho, o episódio vai ao ar no dia 14 de outubro, segunda-feira, às 23h, no SescTV

Qual a relação que as pessoas têm com a morte? Como elas aceitam o término da vida? Questões como estas são discutidas no episódio Morte e Finitude, da série Filosofia Pop, apresentada pela filósofa e escritora Marcia Tiburi e dirigida por Esmir Filho. Neste novo episódio, que o SescTV exibe no dia 14 de outubro, segunda, às 23h, o tema é discutido pelo historiador e mestre em ciências da religião Vagner Marques e pela atriz, cantora (MC) e poetisa Roberta Estrela D´Alva. (Assista também em sesctv.org.br/aovivo).

Em Morte e Finitude, os convidados falam sobre como os sentidos atribuídos a vida que se finda são diferentes de acordo com a época que se vive. Vagner Marques comenta que houve um processo de aceleração da percepção do tempo no século XIX, sobre tudo no Ocidente, intensificando-se no século XX a partir de 1914, com a Primeira Guerra Mundial. De acordo com ele, esta rapidez se estendeu até 1990 com o fim da Guerra Fria, quando houve a possibilidade da humanidade se extinguir com um apertar de botão e explica: “A bipolaridade entre Estados Unidos e União Soviética, comunismo e capitalismo, e a ideia de que o mundo ia acabar e não acaba, leva a uma aceleração que eu percebo que estamos vivendo hoje: a ideia de que o mundo não vai ter mais fim e de que nós podemos superar a morte”. 

Marcia Tiburi acredita que a finitude pode ser pensada a partir da forma e dos recursos que as pessoas utilizam para se relacionarem com a morte. “No sentido de fim de tempo. Não só do tempo da vida que se finda, mas das coisas, da expectativa da vida, das experiências que terminam. A gente morre muitas vezes ao longo da vida”, esclarece a filósofa.

Roberta Estrela D´Alva, que, aos 18 anos de idade perdeu uma irmã de 16, vítima de câncer, vê o ambiente da morte como algo curioso por interferir nos aspectos sociais da comunidade que está em volta daquele que parte, como: a lida com a espera, o tempo, a memória e a matéria. “Tudo isso junto foi muito marcante, influenciou a minha vida para sempre e a relação que eu tenho com a morte e com a arte que eu pensei a partir daí. Uma experiência tão cedo assim contamina tudo, ou edifica tudo”, expõe a atriz.

O episódio aborda, ainda, a morte no aspecto religioso, destacando a ambiguidade que há, principalmente no cristianismo, ao pensar na finalização da existência de uma pessoa; as questões da vida após a morte, do suicídio e do aborto; o porquê dos seres humanos se distanciarem da meditação sobre a morte; sobre caminhos que levam a pensar na aceitação desse fim; o holocausto urbano que há nas periferias; o feminicídio; o racismo; e o medo da morte.

A série Filosofia Pop foi gravada em diferentes unidades do Sesc em São Paulo, e o episódio Morte e Finitude tem como cenário o Sesc 24 de Maio, na capital, e convida pensadores contemporâneos, de áreas diversas, para debaterem, entre si e com o público, temas distintos que dialogam com a filosofia e a vida cotidiana. Além dos convidados, cada episódio tem participação da plateia com perguntas.

Sobre a série:

Realizada pelo SescTV, Filosofia Pop é uma idealização de Marcia Tiburi e Esmir Filho e estreou no canal em 2015, com 13 episódios de uma hora cada, tratando de assuntos como Deus; ética; pedofilia, drogas; mulher, poder e biopoder. Em 30 de setembro deste ano, a série ganhou mais 13 episódios, que abordam os temas prazer e trabalho; riso contemporâneo; morte e finitude; sexo e gênero; arte e política, natureza; velhice; loucura; dispositivos e vida; liberdade e encarceramento, dentre outros. Todos os 26 episódios já estão disponíveis para serem assistidos on demand, em alta definição e na íntegra, gratuitamente, em sesctv.org.br.

Todos os participantes dos novos episódios:


Ailton Krenak, líder indígena e escritor; Anna Muylaert, cineasta; Ladislau Dowbor, economista e professor; Christine Greiner, professora de artes do corpo; Gorete Milagres e Mariano Mattos Martins, atores; Linn da Quebrada, atriz, cantora e ativista; Gaudêncio Fidelis, historiador e curador de arte; Débora Diniz, antropóloga; Manoel Ricardo de Lima, escritor; Benjamin Seroussi, curador e gestor cultural; Vagner Marques, historiador e mestre em ciências da religião;  Roberta Estrela D’Alva, atriz e cantora; Jerá Guarani, professora e líder indígena;  Marcelo Pelizzolli, filósofo;  Daniel Kupermann, psicanalista; Tatá Oliveira, palhaça; Joice Berth, arquiteta e urbanista; Amara Moira; escritora e doutora em literatura; Dríade Aguiar, mídia ativista; Rosana Hermanne,  escritora, roteirista e apresentadora de TV; Ricardo Antunes e Najara Lima Costa, sociólogos; Denilson Lopes, professor e pesquisador;Dina Alves e Márcia Rocha, advogadas.

Sobre o SescTV:

SescTV é um canal de difusão cultural do Sesc em São Paulo, distribuído gratuitamente, que tem como missão ampliar a ação do Sesc para todo o Brasil. Sua grade de programação é permeada por espetáculos, documentários, filmes e entrevistas. As atrações apresentam shows gravados ao vivo com grandes nomes da música e da dança. Documentários sobre artes visuais, teatro e sociedade abordam nomes, fatos e ideias da cultura brasileira. Ciclos temáticos de filmes e programas de entrevistas sobre literatura, cinema e outras artes também estão presentes na programação.

Serviço:

Novos episódios

Série: FILOSOFIA POP
Episódio: Morte e Finitude
Estreia: 14/10, segunda, às 23h
Reapresentações: 15/10, terça, às 11h; 16/10, quarta, às 21h; 17/10, quinta, às 10h; 18/10, sexta, às 19h30; 19/10, sábado, às 21h; e 20/10, domingo, às 19h.
Duração: 60 min.
Classificação indicativa: Livre
Apresentação: Marcia Tiburi
Direção: Esmir Filho
Idealização: Marcia Tiburi e Esmir Filho
Produtora: Claraluz Filmes e Saliva Shots
Realização: SescTV

On Demand

Todos os 26 episódios estão disponíveis em sesctv.org.br