No dia 19 de junho é comemorado o dia do cinema brasileiro. O Centro Europeu, criou uma lista com 5 filmes comemorar essa data importante

No dia 19 de junho de 1898, o cinegrafista italiano Affonso Sogretto gravou sua chegada ao Rio de Janeiro. Essas foram as primeiras imagens captadas em território nacional. Por esse motivo, desde a década de 70, é comemorado o dia do cinema brasileiro nessa data. Para comemorar um marco tão importante, os alunos e professores de cinema do Centro Europeu, em Curitiba, criaram uma lista de filmes para comemorar não só o dia e sim a semana. Confira a lista com cinco filmes nacionais a seguir:

O longa-metragem dirigido pelo curitibano Marcos Jorge conta a história de Raimundo Nonato
  1. Estômago (2007 – Drama – 113 min): O longa-metragem dirigido pelo curitibano Marcos Jorge conta a história de Raimundo Nonato, migrante nordestino que chega à cidade e descobre seu talento nato para a cozinha. O filme foi gravado na região central da capital paranaense e recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais.
Corpos Celestes narra o confronto entre o intelecto e a emoção vivido pelo astrônomo Francisco
  1. Corpos Celestes (2011 – Romance/Drama – 91 min): Dirigido pelos cineastas Marcos Jorge e Fernando Severo, o filme que narra o confronto entre o intelecto e a emoção vivido pelo astrônomo Francisco, interpretado pelo ator Dalton Vigh, foi todo rodado no Paraná, com locações em Castro, Piraquara, Araucária e Curitiba.
Cafundó é inspirado na história do ex-escravo João de Camargo
  1. Cafundó (2005 – Drama – 102 min): Dirigida por Clóvis Bueno e Paulo Betti, e estrelado por Lázaro Ramos, a premiada produção foi gravada em quatro cidades do Paraná e é inspirada na história do ex-escravo João de Camargo, considerado um santo popular e milagreiro no início do século XIX em Sorocaba(SP).
O estacionamento retrata acontecimentos da vida de Jean, um imigrante haitiano que vem para o Brasil
  1. O estacionamento (2016 – Ficção -15 min): O curta-metragem escrito e dirigido por Willian Biagioli foi totalmente gravado em Curitiba (PR) e retrata acontecimentos da vida de Jean, um imigrante haitiano que vem para o Brasil e consegue emprego em um estacionamento de carros. A obra recebeu o prêmio de melhor curta-metragem no festival internacional de cinema do Rio de Janeiro, além de ser selecionado para participar de festivais no Brasil e exterior.
Para a minha amada morta narra a história de Fernando, um fotógrafo que acaba de perder a esposa, e fica transtornado ao descobrir que ela o traía

5. Para a minha amada morta (2015 – Drama – 115 min): Gravada no Paraná e produzida por diversos profissionais formados pelo curso de Cinema do Centro Europeu, a produção narra a história de Fernando, um fotógrafo que acaba de perder a esposa, e fica transtornado ao descobrir que ela o traía. O filme conquistou o prêmio de melhor longa –metragem de ficção no Festival des Films du Monde de Montréal no Canadá.