O vencedor da Maratona Animada SENAI foi o curta Lumni, da equipe carioca Babalu. Ele premiado durante o Anima Mundi Rio

No dia 23 de julho, último domingo, foi anunciado durante o encerramento do Anima Mundi Rio, no Cine Odeon, o vencedor da Maratona Animada SENAI, competição de curtas amadores que faz parte do maior evento de animação da América Latina. O curta Lumni, da equipe carioca Babalu, foi o grande vencedor da noite.

Com um minuto e 43 segundos, o curta abordou o tema da competição: 100 anos de animação brasileira. O concurso teve 156 equipes inscritas. Além do grupo vencedor, foram finalistas o curta ‘100’, da equipe carioca Kaplow 2; e a produção ‘Que venham mais 100 anos de animação’, dos paulistas da Bugbite Lab.

“Boa parte do grupo trabalha na produtora de animação Copa Studio e fazemos diversos projetos juntos. Esta conquista é muito importante para nós e para a nossa formação. Queremos fazer parte da história da animação no país”, afirmou Anderson Cruz, Líder da equipe Babalu.

A equipe vencedora ganhou, além do troféu, uma premiação de R$ 5 mil e bolsas para cursos na área de audiovisual no SENAI Rio. Segundo ela, para o Sistema FIRJAN, por meio do SENAI Rio, apoiar o Anima Mundi é apoiar o desenvolvimento da indústria do audiovisual fluminense e a melhoria do ambiente de negócios.

“É uma honra para o SENAI Rio participar do Anima Mundi, por meio da Maratona Aminada. O SENAI tem um papel muito importante, que é a formação e qualificação dos profissionais que vão trabalhar nas produtoras. Esperamos que a animação mantenha essa trajetória crescente no estado e no país nos próximos 100 anos”, disse Alessandra Cabral, Coordenadora de Desenvolvimento Setorial do Sistema FIRJAN, antes de anunciar o curta vencedor.

Além disso, o júri profissional elegeu o curta francês ‘Negative Space’ de Ru Kuwahata e Max Porter, vencedor do Grande Prêmio Anima Mundi. Já o público escolheu a produção inglesa ‘Mr. Madila’, de Rory Waudby-Tolley, como melhor curta e melhor curta de estudante. ‘Sob o véu da vida oceânica’, de Quico Meirelles, foi escolhido o melhor curta brasileiro. Já os longas-metragens serão premiados pelas médias da votação dos públicos do Rio e de São Paulo, onde o Anima Mundi ocorre entre os dias 26 e 30 de julho.

Confira o curta vencedor e outros dois finalistas:

Lumni – Equipe Babalu

Que venham mais 100 anos de animação! – BugbiteLab

100 – Kaplow 2