Canal “Curta!” exibe programação especial no mês da Consciência Negra

0
Consciência Negra no canal
Cena do documentário "A Última Abolição"

Durante novembro, o Canal Curta! apresenta programação especial, destacando produções que debatem questões raciais e o passado escravocrata brasileiro.

No dia 20 de novembro, quando é comemorado o Dia Nacional da Consciência Negra, estreia o documentário inédito “A Última Abolição”, de Alice Gomez. O filme aborda o período em que a abolição da escravidão foi decretada no Brasil, focando na ação dos movimentos abolicionistas, a resistência escrava, o papel das mulheres negras nesse contexto, as discussões que permeavam a elite da época e as consequências da Lei Áurea após assinada.

Ainda este mês,  também serão exibidos os documentários “Nina Simone”, de Frank Lords; “Barry White: A história do álbum Let The Music Play”, de George Scott; “Clementina”, de Ana Rieper; “Simonal – Ninguém sabe o duro que dei”, de Cláudio Manoel, Mical Langer e Calvito Leal; e “Paulo Moura – Alma Brasileira” de Eduardo Escorel; além das séries “Palmares: Coração Brasileiro, Alma Africana”, de José Carlos Asbeg, e “Retornados”, de Maria Pereira e Simplício Neto.

SÉRIES – EPISÓDIOS SEMANAIS:

Quartas do Cinema; dias 13, 20 e 27, às 19h

“Retornados”

África, costa ocidental, século XIX: milhares de escravos africanos libertos regressam do Brasil às suas terras de origem. Com eles, o cozido, a burrinha, a língua portuguesa e outras brasilidades se espalham pela costa ocidental africana, dando origem ao grupo conhecido como retornados ou agudás. Na série “Retornados”, veremos como os descendentes desse grupo experimentam hoje, em Gana, Togo, Benin e Nigéria, as heranças culturais brasileiras. Conheceremos também a história de retornados que desempenharam papel importante na formação das sociedades brasileira e africana, e os laços ainda cultivados por famílias separadas pelo Atlântico. Diretores: Maria Pereira, Simplício Neto. Duração: 30 min. Classificação: Livre.

Sextas da Sociedade; dias 15 e 22, às 20h

“Palmares: Coração Brasileiro, Alma Africana”

A série é um trabalho de recuperação historiográfica do papel que desempenhou o Quilombo dos Palmares durante o período colonial brasileiro. Instalado na Serra da Barriga, entre Alagoas e Pernambuco, o quilombo foi, entre aqueles que surgiram no início do século XVI, o mais combatido (cerca de 45 expedições punitivas para desalojá-lo). Também aquele que mais durou, cerca de 100 anos, tornando-se grave questão de estado para o império português. Palmares tem importância simbólica para a comunidade afrobrasileira, que o tem como referência permanente de sua luta contra o racismo e a desigualdade social. Diretores: José Carlos Asbeg, Luiz Arnaldo Campos, Carlos Nobre. Duração: 52 min. Classificação: Livre.

DOCUMENTÁRIOS:

12/11

16h15 – “Paulo Moura – Alma Brasileira”

O documentário apresenta a trajetória musical e biográfica do músico Paulo Moura. O compositor e instrumentista está associado à história do choro brasileiro. Para captar a essência da sua obra, o diretor Eduardo Escorel lança mão da música e do sentimento – presente, especialmente, na voz da viúva Halina Grynberg. Trechos “rejeitados” de entrevistas e momentos silenciosos gravados em turnês internacionais ajudam a trazer à tona o lado menos conhecido do artista e a formar um retrato mais completo de Paulo Moura. A produção reúne mais de 40 anos de registros filmados e escritos. O longa apresenta 25 canções do repertório do músico, enquanto o próprio Paulo Moura dá mais detalhes sobre sua história pessoal e sobre o cenário musical brasileiro. Diretores: Eduardo Escorel. Duração: 86 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 13 de novembro, quarta, às 10h15; 16 de novembro, sábado, às 22h15; 17 de novembro, domingo, às 13h20.

18/11

21h30 – “Nina Simone”

Com muita música, esse documentário reconta a vida de Nina Simone, estrela do jazz e voz do movimento negro americano ao lado de Malcolm X e Martin Luther King Jr. Diretor: Frank Lords. Duração: 52min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 19 de novembro, terça-feira, às 01h30 e 15h30; 20 de novembro, quarta-feira, às 9h30; 23 de novembro, sábado, às 12h15.

22h30 – “Simonal – Ninguém sabe o duro que dei” 

“Simonal – Ninguém sabe o duro que dei” traça a trajetória impressionante do ex-cabo de exército e cantor Wilson Simonal, que reinou na música popular e acabou condenado ao ostracismo por um delito que jurava nunca haver cometido. Diretores: Cláudio Manoel, Mical Langer e Calvito Leal. Duração: 75 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 19 de novembro, terça-feira, às 02h30 e 16h30; 20 de novembro, quarta-feira, às 10h30; 23 de novembro, sábado, às 22h15; 24 de novembro, domingo, às 13h15.

20/11

22h30 – “A Última Abolição”

O Brasil tem o vergonhoso título de “último país ocidental a abolir a escravidão”, fato que se deu apenas em 1888. O documentário “A Última Abolição” aborda a escravidão no Brasil com especial enfoque no período da abolição, destacando os movimentos abolicionistas, a resistência escrava, o papel das mulheres negras na resistência, as discussões da elite do país no período, culminando com a assinatura da Lei Áurea e suas consequências para a população negra do Brasil pós-abolição aos dias de hoje.  Diretor: Alice Gomez Duração: 81 min Classificação: Livre. Horários de exibição: 20 de novembro, quarta-feira, às 22h30m; 21 de novembro, quinta-feira, às 2h30 e às 16h30; 22 de novembro, sexta-feira, às 10h30; 23 de novembro, sexta-feira, às 13h20; 24 de novembro, sábado às 22h25.

25/11

21h30 – Clementina

O documentário faz uma viagem através das músicas e da história de Clementina de Jesus. Os sambas mais poéticos, o batuque cheio de balanço, os cantos religiosos que revelam uma comunicação forte com o mundo sagrado, vão nos levando para o profundo mundo de Quelé. Marcada na história da MPB pela sua voz excepcional e repertório de música afro brasileira, essa neta de escravos trouxe com o seu canto a alegria, a potência e o drama da condição do negro no Brasil. Considerada por muitos o elo perdido entre a cultura brasileira e as raízes africanas.  Diretora: Ana Rieper. Duração: 75 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 9 de abril, terça-feira, às 02h20 e às 16h20; 10 de abril, quarta-feira, às 10h20; 13 de abril, sábado, às 22h25; 14 de abril, domingo, às 13h.

25/11

23h – “Barry White: A história do álbum Let The Music Play” (Documentário)

O documentário narra a trajetória de Barry White, cantor, compositor, maestro e produtor musical norte-americano. Compositor de inúmeros sucessos em estilo soul e disco e de baladas românticas, e um intérprete com voz profunda e grave.  Diretor: George Scott. Duração: 60min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 26 de novembro, terça-feira, às 03h e às 17h; 27 de novembro, quarta-feira, às 11h; 30 de novembro, sábado, às 23h.

Veja Também